Lagarta da Couve, grande consumidora das hortas brasileiras

A lagarta da couve, também bastante conhecida como curuquerê-da-couve, é um dos maiores consumidores existentes nas hortas brasileiras. Popular em razão de seu grande estrago, principalmente nas folhas da couve, a lagarta nada mais é do que a fase larval de uma simpática borboleta. Isso se dá pelo fato de as borboletas serem insetos que possuem três estágios de desenvolvimento: ovo, larva e forma adulta. Desse modo, as lagartas se enquadram no segundo estágio, o qual, após sofrer um processo de construção de casulo, irá gerar as borboletas em sua forma adulta; esta, por sua vez, normalmente é da espécie Ascia monuste orseis. 

Ascia monuste orseis (foto: www.biodiversidadeteresopolis.com.br)

Como vivem?

As borboletas colocam os ovinhos amarelos em qualquer região da folha da couve, e após sua eclosão, darão origem a dezenas de pequenas lagartas amarelo-esverdeadas com listras amarronzadas, que podem chegar a 35 mm. Essas lagartas, embora pequenas, se alimentam de modo voraz e incessante das folhas, podendo deixar um pé de couve completamente sem folhas em casos mais extremos. Vale lembrar que há pesquisas que comprovam que as formas adultas preferem depositar seus ovos em folhas mais jovens, aumentando a infestação nesse tipo de folha. Além disso, as lagartas se alimentam das partes mais macias, sendo que as nervuras das folhas permanecem praticamente intactas.

Ao final da fase larval, essas lagartas buscam locais apropriados para formarem seus casulos, dentro dos quais ficam em torno de 15 dias; e é o local onde ocorre a metamorfose para transformação na borboleta adulta. Ao deixarem os casulos, são insetos com asas levemente amareladas, que possuem as extremidades mais amarronzadas, e são bastante características de épocas mais quentes.

Uma curiosidade sobre esses animais refere-se ao fato de que eles não se alimentam exclusivamente da couve, embora sejam conhecidas como lagartas da couve. Desse modo, também há relatos de ataque a algodão, brócolis, amendoim, arroz, maracujá, entre outras plantas.

Como controlar as lagartas?

Lagarta da Couve, grande consumidora das hortas brasileiras (foto: http://www.agronomicabr.com.br/agriporticus/detalhe.aspx?id=734)

Uma das melhores maneiras de se controlar a invasão de lagartas da couve é por meio do controle biológico; esse método consiste em utilizar um predador ou parasita natural do animal como forma de diminuir sua população, evitando-se assim o uso de inseticidas. Nesse caso, alguns pássaros podem realizar esse controle.

Outra maneira interessante consiste em colocar cascas de ovos, os quais imitam os ovos colocados por pássaros predadores de lagartas, mostrando assim que o ambiente não é seguro para as borboletas.

Recomenda-se também utilizar chá de fumo ou de alecrim, acrescidos de sumo de cebola ou alho a cada 15 dias, com o auxílio de um pulverizador.

Be the first to comment on "Lagarta da Couve, grande consumidora das hortas brasileiras"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.