Aranha-marrom, uma das mais comuns e perigosas do país

Aranha-marrom é o nome popular que se dá às espécies do gênero Loxosceles, o qual é representado por 8 espécies no território brasileiro. Frequentemente encontrada em todo o país, tem seu predomínio nas regiões Sul e Sudeste, onde ocorre a maioria dos acidentes envolvendo estes aracnídeos.

Aranha-marrom (foto: https://www.seropedicaonline.com/ultimas-noticias/aranha-um-inimigo-que-pode-morar-em-sua-casa-e-ate-matar/)

Descrição da espécie

A aranha-marrom é um animal invertebrado, pertencente ao filo Arthropoda, dentro do qual encontram-se animais com exoesqueleto quitinoso e apêndices articulados; tais como as abelhas, o piolho-de-cobra e os camarões. Todavia, por ser um representante da classe Arachnida, que compreende aranhas, opiliões, pseudoescorpiões e escorpiões, as espécies do gênero Loxosceles compartilham algumas características comuns a estes outros animais.

Dentre estas, pode-se citar a divisão do corpo em cefalotórax e abdome; a presença de um par de quelíceras na região frontal para melhor manipulação do alimento; a presença de 8 patas; ausência de asas e de antenas. Vale ressaltar também, que, assim como as demais espécies de aranhas, possuem glândulas de veneno.

Todavia, algumas características mais específicas definem as Loxosceles. Isso se deve ao fato de que, como seu próprio nome sugere, as espécies de aranha-marrom possuem uma coloração amarronzada, podendo ter um tom mais avermelhado; e possuem um tamanho relativamente pequeno, com uma média de 3 a 4 centímetros de comprimento. Além disso, as espécies apresentam dimorfismo sexual, ou seja, machos são diferentes de fêmeas, sendo estas maiores que seus parceiros.

Loxosceles spp. (foto: https://controledepragassp.blogspot.com/2015/06/aranha-marrom-nome-cientifico-loxosceles.html)

Hábitos de Loxosceles spp.

A aranha-marrom é uma espécie de hábitos predominantemente noturnos, de modo que permanece escondida durante o dia, sendo encontrada embaixo de pedras e cascas de árvores. Contudo, essa aranha também tem grande distribuição dentro de residências, onde se esconde predominantemente em telhas, madeiras, atrás de quadros, e até mesmo nas roupas de cama e dentro de sapatos.

Assim como as demais espécies da ordem Araneae, as Loxosceles são espécies carnívoras, e se alimentam preferencialmente de outros invertebrados, como o tatuzinho-de-jardim, formigas e cupins. Todavia, vale ressaltar que, ao contrário de outras espécies peçonhentas que produzem teias mais elaboradas de modo a facilitar a captura da presa, as aranhas-marrons produzem uma teia que pode lembrar um chumaço de algodão.

Acidentes com a Aranha-marrom

A aranha-marrom é uma espécie que, assim como grande parte dos animais, só irá atacar o ser humano caso se sinta ameaçada; ou seja, quando for esmagada sem querer, por exemplo. A partir daí, ocorre a picada, em que há a liberação do veneno hemolítico e neurotóxico dessas espécies, considerado o mais perigoso dentre as aranhas brasileiras.

Desse modo, logo após a picada, há uma sensação de queimação e ardência; e após algumas horas, vermelhidão, inchaço, e posteriormente necrose, ou seja: morte do tecido em que ocorreu a picada. Contudo, as complicações podem evoluir gradualmente, causando vômito, perda de sangue através da urina, além de afetar o funcionamento dos rins e, posteriormente, caso não haja tratamento adequado, pode levar a óbito.

Portanto, em caso de picada por espécies do gênero Loxosceles, lave o local com água e sabão e procure imediatamente um posto de saúde mais próximo para o início do tratamento com soro antiaracnídico ou antiloxoscélico.

Teia de aranha-marrom (foto: Felipe Duran / Shutterstock.com)

Be the first to comment on "Aranha-marrom, uma das mais comuns e perigosas do país"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.