Opilião, artrópode que desperta a curiosidade por sua fisionomia

Opilião é o nome comum aos artrópodes da ordem Opiliones, a qual está inserida dentro da classe Arachnida, que engloba aranhas, escorpiões e outros animais. Também conhecido como aranha-bode, aranha-cafofo, aranha-de-chão e cafofo, esse animal não é uma aranha; embora seja um parente bem próximo. Tampouco é um inseto, como besouros e bichos-pau, uma vez que possui mais de 6 patas e não possui antenas. Conheça um pouco mais sobre esse artrópode.

Opilião (foto: https://revistagloborural.globo.com/)

Descrição

O opilião é um animal que se encontra distribuído em todo o mundo, sendo um total de aproximadamente 6 mil espécies. No Brasil, são estimadas mil espécies, as quais são encontradas principalmente na Mata Atlântica. Esse artrópode é frequentemente confundido com aranha por compartilhar algumas características, tais como: presença de 8 patas articuladas bem longas em relação ao corpo e ausência de antenas, por exemplo.

Todavia, ao contrário de aranhas, o opilião possui o cefalotórax (porção anterior do corpo) e abdome (porção posterior) fundidos entre si; além disso, o segundo par de pernas é modificado, de modo que estas atuam como antenas. Vale ressaltar ainda que este animal possui espinhos em algumas de suas patas, os quais auxiliam na captura de presas. Possui também uma glândula responsável pela emissão de uma substância de cheiro bem forte como forma de proteção; fato que confere a este animal o nome de fede-fede. Ao contrário das aranhas, que em sua maioria produzem seda que será responsável por sustentar seu ninho, as espécies de opilião não produzem seda e nem possuem glândulas de veneno.

Como vive o opilião?

Opilião (foto: http://www.ra-bugio.org.br/ver_especie.php?id=944)

Esse artrópode possui hábito predominantemente noturno, é principalmente onívoro; ou seja, se alimenta tanto de fontes de origem animal, quanto de origem vegetal. Há espécies que são saprófagas, outras se alimentam de invertebrados, outras de seiva vegetal; e ambas utilizam o segundo par de patas para auxiliar no conhecimento do território, e as quelíceras, estruturas localizadas próximas à boca, para manipulação do alimento.

No que se refere à reprodução, é um animal dioico, ou seja, há os machos e as fêmeas, e a fecundação é interna. Após a fecundação, há a deposição dos ovos em locais que variam conforme a espécie, podendo ser em flores, próximo a fontes de água. A partir daí, o macho e a fêmea são responsáveis pelo cuidado com a prole; mas há registros de espécies em que somente o macho é quem irá prover os suprimentos para os filhotes.

É importante ressaltar também, algumas curiosidades sobre esse animal ainda não muito conhecido. Dentre estas, encontra-se o fato de o opilião ser capaz de realizar autotomia; ou seja, para se defender, pode perder uma perna como forma de distrair seu predador. Além disso, realiza também a tanatose, que é o hábito de se fingir de morto para não se tornar uma presa.

Be the first to comment on "Opilião, artrópode que desperta a curiosidade por sua fisionomia"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.