Amblypygi, aracnídeo que desperta a atenção por sua beleza peculiar

Rate this post

O nome Amblypygi consiste em uma ordem zoológica que compreende os amblipígios, animais invertebrados comumente confundidos com aranhas. Sem um nome popular de maior evidência, esses seres são habitantes de diversas regiões do planeta, sendo encontrados principalmente em cavernas e regiões subterrâneas dos estados brasileiros das regiões Centro-Oeste, Nordeste e Norte.

Amblypygi (foto: https://www.todoservivo.com/artropodos/quelicerados/aracnidos/amblypygi/)

Descrição geral do grupo

Os amblipígios são artrópodes pertencentes à grande classe dos aracnídeos, na qual encontra-se uma grande diversidade de animais, como a aranha-armadeira, os opiliões, pseudoescorpiões, os Uropygi, dentre outras espécies fascinantes. Desse modo, os representantes do grupo Amblypygi, além de possuírem um corpo com apêndices locomotores articulados e um exoesqueleto de quitina; apresentam 4 pares de patas, quelíceras para a melhor manipulação do alimento, não apresentam antenas e nem asas.

Além disso, possuem características exclusivas que os tornam um grupo extremamente peculiar dentre os invertebrados. Isso se deve ao fato de que possuem um tamanho médio de 10 centímetros, um corpo extremamente achatado e envolvido por uma carapaça sólida, e pedipalpos fortes, com ganchos para permitir a melhor apreensão da presa. Vale ressaltar também que seu corpo é segmentado em cefalotórax e abdome, sendo o primeiro par de patas modificado em apêndices sensoriais, que os auxiliam a sentir o ambiente, haja vista que são animais que vivem em ambientes escuros.

Em razão de algumas dessas características, os animais desse grupo são frequentemente confundidos com aranhas e escorpiões. Contudo, é importante ressaltar que eles não possuem o télson como os escorpiões, ou glândulas produtoras de seda ou de veneno; não sendo considerado um animal peçonhento. Lembre-se, porém, que acidentes podem ocorrer envolvendo humanos e estas espécies.

Hábitos dos Amblypygi

Assim como os demais aracnídeos, os amblipígios são animais carnívoros, sendo exímios predadores nos ambientes subterrâneos, se alimentando de insetos ou de outros representantes da classe dos aracnídeos. Vale ressaltar também que são predadores do tipo “senta e espera”, de modo que, quando seus órgãos receptores localizam a presa, partem para o ataque utilizando seus pedipalpos e quelíceras pra trituração.

No que se refere à reprodução, há dimorfismo sexual, de modo que os machos apresentam pedipalpos maiores que os das fêmeas. No caso de reprodução sexuada, há uma espécie de “dança nupcial”, em que os machos buscam atrair as fêmeas. Estas, após a cópula, se responsabiliza por carregar os ovos embaixo do abdome; os quais, ao eclodirem, originam filhotes que serão cuidados pela fêmea até a primeira ecdise. Contudo, é importante ressaltar que pode haver reprodução por partenogênese; sendo que os ovos se desenvolvem sem que haja a fecundação pelo macho.

Amblipígio (foto: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Amblypygi,_El_Yunque_National_Forest,_Puerto_Rico_by_Geoff_Gallice_-_001.jpg)

Os Amblypygi no Cinema

Uma curiosidade bem interessante, principalmente para os fãs da famosa saga Harry Potter, consiste no fato de que um amblipígio aparece no filme “O Cálice de Fogo”; quando Alastor Moody, então professor de Defesa Contra as Artes das Trevas, demonstra as três maldições imperdoáveis a seus alunos. E, durante essa demonstração, há o uso de um Amblypygi pelo professor de forma levemente equivocada, visto que Moody (ou Bartô Crouch Júnior, como preferir), comenta sobe a presença de veneno nesses animais, o que não é verídico.

Be the first to comment on "Amblypygi, aracnídeo que desperta a atenção por sua beleza peculiar"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.