Rendeira, belíssima e exuberante ave da Mata Atlântica brasileira

A rendeira (Manacus manacus), também conhecida como barbudinho, cabeça-de-prata e tangarazinho, é uma imponente ave encontrada no Brasil. Com uma distribuição bem ampla pelo continente sul-americano, essa bela ave habita a região Amazônica e áreas de Mata Atlântica do sudeste e do nordeste; embora também seja visualizada em ilhas caribenhas, no Paraguai e na Argentina.

Rendeira macho (foto: https://pt.wikipedia.org/wiki/Rendeira#/media/Ficheiro:Manacus_manacus.jpg)

Descrição da espécie

As espécies de aves atuais são distribuídas em dois grandes grupos principais: o grupo dos não passeriformes, que agrupa espécies como corujas, araras-azuis, gaviões; e o grupo dos passeriformes, nos quais encontra-se o tiê-sangue, canário-da-terra e a rendeira. Desse modo, pode-se chamar o tangarazinho de pássaro, representante da família Pipridae; que se caracteriza, dentre outros motivos, pela realização de uma dança de exibição dos machos para acasalamento com as fêmeas.

Todavia, o cabeça-de-prata tem algumas características bem peculiares, que permitem seu reconhecimento. Embora seu tamanho médio seja bem pequeno, com aproximadamente 10 centímetros, sua coloração faz com que seja um pássaro único. Isso porque, os machos apresentam uma coloração preta na região da cabeça, um babador e região peitoral mais esbranquiçada; sendo que suas pernas possuem cor alaranjada. Já as fêmeas, assim como em outras espécies de Pipridae, possuem coloração mais esverdeada, em tons de oliva, e pernas mais amareladas.

Rendeira fêmea (foto: Dario Sanches – https://curiosidadeanimalbrasil.wordpress.com/foto-de-dario-sanches-manacus_manacus_-registro_sao_paulo_brazil_-female-8/)

Hábitos da Rendeira

Essa espécie habita, predominantemente bordas de matas e restingas, caracterizando-se por ser uma espécie onívora, que se alimenta tanto de frutos, quanto de pequenos insetos. Contudo, o que realmente desperta a curiosidade de muitos é o seu comportamento reprodutivo. Isso se deve ao fato de que os machos, durante o período reprodutivo, se aglomeram e realizam danças de exibição para atrair as fêmeas. Durante esse processo, a musculatura peitoral é estufada, e há a realização de movimentos bem complexos durante o voo. Esses movimentos, por originarem sons semelhantes aos de artesãos que se empenham na confecção de renda de bilro, fizeram com que o nome popular da espécie fosse ‘rendeira’.

Contudo, vale ressaltar ainda que a exibição para atração das fêmeas, e a realização da cópula são as únicas funções apresentadas pelos machos; haja vista que as fêmeas são as únicas responsáveis pela construção do ninho e pelo cuidado parental dos filhotes. Com isso, além do dimorfismo sexual bastante evidente, percebe-se uma grande seleção sexual, de modo que os machos mais exibicionistas e atraentes serão capazes de acasalar e de deixar descendentes.

Manacus manacus (foto: https://species.wikimedia.org/wiki/Manacus_manacus)

Be the first to comment on "Rendeira, belíssima e exuberante ave da Mata Atlântica brasileira"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.