Produção artesanal de doce de manga: tradição que agrada aos brasileiros

A produção artesanal de doce de manga é uma das tradições preservadas nas zonas rurais das pequenas cidades do interior do Brasil.

Manga descascada (foto: Evandro Marques – www.coisasdaroca.com)

Conheça um pouco da manga

A mangueira é uma planta nativa do sul e do sudoeste asiático, que se adaptou muito bem ao clima do Brasil, sendo encontrada em todas as regiões.

Belém, capital do Pará, é conhecida como terra da mangueira, devido à grande quantidade dessas árvores nas ruas e avenidas da cidade. À época da maturação dos frutos, é comum alguns deles atingirem o para-brisa de veículos, quebrando-o.

Já em Minas Gerais, a região de Ubá produz uma manga muito doce, conhecida como manga ubá. É essa manga a mais usada na produção de doces na região sudeste do Brasil.

Manga em pasta (foto: Evandro Marques – www.coisasdaroca.com)

Produção artesanal doce de manga – etapas

Após a coleta dos frutos, eles devem ser lavados e descascados. Na sequência, vem a etapa de retirar a semente da manga. Obtém-se, assim, uma massa bastante encaroçada, rica em fibras.

Essa massa é passada em uma peneira muito fina (atualmente, usa-se o liquidificador) para se transformar em uma massa bem fina e pastosa, porém, homogênea.

É essa massa que vai ao fogo, normalmente em um tacho de cobre. Na zona rural, esse tacho é colocado em uma fornalha (tipo de fogão a lenha, com maior espaço para colocar a lenha), para ser concentrado.

Enquanto ferve, uma pessoa de ficar mexendo continuamente o tacho para que o fundo não fique queimado. Vale qualquer tipo de lenha para a fervura. Contudo, é comum as pessoas colocarem um tronco mais grosso, que vai queimando mais lentamente e preservando o calor. Com menos fogo (menos labareda), a chance do fundo do tacho ficar queimada é bem menor.

Pasta da manga em fervura na fornalha

Pasta da manga em fervura na fornalha (foto: Evandro Marques – www.coisasdaroca.com)

Essa etapa exige bastante atenção, pois, o caldo em fervura espirra muito e pode provocar queimaduras caso alguma gota atinja a pele. O teor de açúcar da manga dispensa a adição de açúcar.

Contudo, caso a pessoa tenha interesse em um produto com maior dulçor, pode acrescentar açúcar. Não há uma medida exata sobre a quantidade de açúcar que deve ser adicionado. De um modo geral, a adição de 1 kg de açúcar para um caldo de 100 mangas deixa o doce com dulçor bastante acentuado.

Dependendo do gosto e do tempo em que o doce precisa de ser conservado, ele poderá ser retirado mais mole ou mais firme; neste caso, a durabilidade é maior.

Pasta da manga em ponto mole

Pasta da manga em ponto mole (foto: Evandro Marques – www.coisasdaroca.com)

Ponto doce de manga

Doces de manga mais firmes podem levar de 4 a 5 horas no fogo, devendo ser mexido ao longo do tempo.

O doce mais firme é, frequentemente, cortado em barras, que podem ser conservadas na geladeira por mais de 1 ano.
Já o doce mais mole deve ser consumido mais rapidamente, pois, com maior teor de água, estraga mais rápido.

Doce de manga em ponto de colher

Doce de manga em ponto de colher (foto: Evandro Marques – www.coisasdaroca.com)

1 Comment on "Produção artesanal de doce de manga: tradição que agrada aos brasileiros"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.