História da Bacalhoada, iguaria muito comum nas mesas da Páscoa

Assim como o ovo de páscoa, a bacalhoada é um daqueles típicos pratos que fazem parte da Semana Santa, principalmente na sexta-feira. Como na religião católica, não é indicado o consumo de carne vermelha nessa época, algumas opções utilizadas para a substituição são à base de peixes; e o bacalhau, peixe que habita águas geladas, faz sucesso aqui no Brasil há algum tempinho…

E você, já parou para pensar qual a origem desse prato comum na quaresma, mas que cai muito bem no almoço comum de domingo? Pois saiba que, antes de saber a história da bacalhoada, precisamos ir um pouco além na história; e conhecer um pouco mais da história sobre como o bacalhau chegou ao Brasil.

Bacalhoada (foto: https://www.supermercadosmundial.com.br/dicas-e-receitas/bacalhoada)

A origem do Bacalhau

Sabe-se que esse peixe não é encontrado em águas brasileiras, uma vez que habita águas com temperaturas bem amenas; e que a história de seu consumo data do século IX, com os Vikings. Pois é! Naquela época, na Escandinávia e na Islândia, os povos vikings, que navegavam pelos mares da região, tomaram conhecimento da espécie de peixe, e deu origem ao seu consumo. Todavia, na época, a forma de conservação mais adequada foi por meio da secagem ao ar livre, que garantiu que o animal pudesse ser consumido durante as viagens.

Já a conservação desse peixe com o sal, segundo os registros, teve início com os povos bascos, habitantes próximos da Península Ibérica. Com isso, o bacalhau era curado, passado ao sal e seco, de modo que fosse comercializado principalmente na região da Espanha.

História vai e vem; e sabe-se inclusive que existiram conflitos motivados pelo interesse comercial do bacalhau, que ficaram conhecidos como Guerras do Bacalhau. Além disso, a Noruega foi o primeiro país a beneficiar e industrializar o peixe; de modo que tornou-se, em escala mundial, o principal ponto de pesca e ponto comercial da espécie.

Bacalhau (foto: https://super.abril.com.br/ciencia/bacalhau-e-um-peixe/)

Como esse peixe chegou ao Brasil?

Assim como uma grande parcela de artefatos e ingredientes trazidos por Portugal nas Grandes Navegações, o bacalhau também foi trazido para cá pelos portugueses. Isso porque, como a viagem para o Brasil durava em torno de 3 meses, era necessário um alimento que se mantivesse conservado por tempo suficiente para a viagem; e a espécie de peixe foi ideal.

Contudo, o consumo era bastante restrito no Brasil até por volta do século XIX, quando as cortes portuguesas chegaram às terras brasileiras. Desse modo, como havia necessidade de tentar manter o padrão de consumo existente em Portugal na época, alguns ingredientes tornaram-se mais populares no país; inclusive o bacalhau, que já era muito consumido pelas cortes. Portanto, a partir daí as exportações de bacalhau da Noruega para o Brasil tiveram início, e o peixe conquistou o paladar do brasileiro.

A história da Bacalhoada

Com essa história toda, já dá pra imaginar de onde surgiu a bacalhoada, não é mesmo? Pois esse prato delicioso tem origem lusitana. Isso mesmo! O início do consumo da bacalhoada se deu com os povos portugueses, que, além do bacalhau, trouxeram grandes influências do catolicismo para o Brasil. Desse modo, a iguaria à base de peixe, ovos, tomate, cebola, bastante azeitona e especiarias foi sendo introduzida na cultura brasileira, e hoje faz sucesso, principalmente na Páscoa.

Bacalhoada (foto: https://bigbox.com.br/2020/04/10/receita-de-bacalhoada-de-forno/)

Be the first to comment on "História da Bacalhoada, iguaria muito comum nas mesas da Páscoa"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.