Carro de boi: da idade da pedra até os dias atuais

O carro de boi é o meio de transporte mais simples e mais primitivo ainda utilizado na zona rural para transportar cargas e mudanças. Surgiu na idade da pedra, chegou ao Brasil com os portugueses à época da colonização e da implantação dos engenhos de açúcar.

O carro de boi é composto pelos seguintes itens:

  1. duas rodas, cercadas por aro de ferro para garantir maior resistência à madeira. São constituídas de três pranchas unidas por travas de madeira, colocadas internamente nas pranchas por furos retangulares;
  2. uma mesa de madeira grande ao meio, que possui cerca de três metros de comprimento e um metro e meio de largura, com duas peças resistentes de cada lado e uma terceira ao meio mais comprida, que é o cabeçalho;
  3. O cabeçalho atrelará o carro ao canzil, que são peças trabalhadas em forma de estaca, que atravessam a canga em quatro pontos, onde os bois são atrelados para puxar o carro;
  4. A canga possui mais ou menos um metro e meio de comprimento e desenhada para contornar o pescoço do boi que será amarrado por uma correia de couro, chamada de brocha.
  5. O cocão é o ponto de apoio entre a mesa de madeira e o eixo do carro. O chiado da roda do carro ou cantiga é característico e produzido pelo atrito do eixo com o cocão.
  6. O carro de boi, quando era carregado, era cercado pela cheda, prancha que era colocada na lateral para colocação dos fueiros, que eram as estacas para prender a carga ao carro.

A pessoa que guiava o carro de boi tinha o nome de carreiro e usava uma vara comprida para ferroar os bois para aumentar a passada deles e garantir que eles iriam para onde o carreiro indicasse. Os bois andavam de parelho e tinham nomes pitorescos que eram gritados pelo carreiro para garantir que eles seguissem o rumo indicado pelo seu guia.

Os bois eram domesticados para a canga e eram extremamente mansos, mas os desobedientes eram guiados pelo ferrão da guiada.

Carro de Boi

Carro de boi

A madeira utilizada para a construção do carro era bem resistente tais como a carnaúba, jacarandá, sucupira, aroeira e pau d’arco.

Foi muito utilizado na época do Brasil Colônia, para transporte da cana-de-açúcar para o engenho, lenha para as fornalhas para aquecerem as tachas de rapadura, para carregar a mandioca para fazer farinha, sacas de café, carregar mudanças dos colonos e transporte de pessoas para a cidade, que eram os pequenos vilarejos da época, buscar querosene e tecidos, pois a comida e a quitanda eram produzidas em casa, e ainda participar das missas dominicais e quermesses.

Durante a segunda guerra mundial o carro de boi foi utilizado para transporte de cargas e pessoas, pois faltou combustível para os carros mais modernos da época.

Atualmente o carro de boi é usado em zonas rurais em festas típicas das pequenas cidades, em entradas de fazendas antigas como enfeites rústicos, pois as coisas da roça estão na moda e as pessoas que estão cansadas do agito e stress da cidade grande procuram a tranquilidade, a simplicidade e o jeito acolhedor dos locais que remetem à vida da roça.

Carro de Boi

Be the first to comment on "Carro de boi: da idade da pedra até os dias atuais"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.