Origem e versões da lenda do Boitatá

O Boitatá é uma lenda do folclore brasileiro, cujo nome se origina da língua Tupi-Guarani, que significa cobra (boi) de fogo (tata) e é considerado o protetor das florestas.

Origem do Boitatá

A lenda é de origem indígena, com influência portuguesa, sendo conhecida desde os tempos do Brasil colonial, contada em diversas regiões do País; além de citada pelo padre Jesuíta José de Anchieta, que ajudou na catequização dos índios.

Boitatá

Boitatá (foto https://images-wixmp-ed30a86b8c4ca887773594c2.wixmp.com/)

Descrição

A lenda do Boitatá descreve o personagem folclórico como uma grande serpente de fogo, que pode se transformar num tronco em chamas, com o intuito de enganar e queimar os invasores e destruidores das matas. Ele protege os animais e as matas das pessoas, que lhe fazem mal e principalmente, que realizam queimadas nas florestas. De acordo com a narrativa, a pessoa que olhasse para o Boitatá poderia ficar cega, louca ou ser petrificada.

A lenda sofreu muitas modificações ao longo do tempo, e portanto, reúne diversas versões, dependendo de cada região; além de ser nominada de outras formas tais como Baitatá, Biatatá, Fogo Corredor, Bitatá e Batatão.

Versões

Numa das versões, uma grande cobra vivia adormecida num imenso tronco e ao despertar faminta, resolveu comer os olhos dos animais. Ao sair de seu esconderijo, emitia uma grande e intensa luz, tornando-se uma cobra de fogo. Ao proteger a floresta, ela assusta as pessoas que vão às matas durante à noite.

No norte e nordeste brasileiro, a imensa cobra de fogo vive nos rios e no momento em que há invasores nas florestas, sai de seu esconderijo para queimá-los.

Ainda de acordo com alguns nordestinos, o boitatá, conhecido como “Alma dos Compadres e das Comadres”, representa as almas penadas malignas que passam queimando tudo.Boitatá

Na região sul do país, a versão que prevaleceu advém da história bíblica do Dilúvio. Nela, muitos animais morreram e as cobras que sobreviveram tiveram como castigo o fogo. Em tal versão, o fogo aparece na barriga de cada uma, as quais se tornam iluminadas e, ao mesmo tempo, transparentes.

Há ainda a versão em que o Boitatá não é uma grande cobra, mas sim um touro feroz, que solta fogo pela boca e assusta pelo tamanho e quantidade fogo.

Seja qual for a versão, nas roças brasileiras, era muito comum tais histórias contadas pelas pessoas mais velhas, que assustavam as crianças, que tinham pavor de sair de casa.

Be the first to comment on "Origem e versões da lenda do Boitatá"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.