Pitomba pequena, agridoce e funcional

Avalie esta postagem

Pitomba (Eugenia luschnathiana) fruto da pitombeira, árvore que é encontrada em várias regiões brasileiras, principalmente na região amazônica, nordeste e sudeste. Ela é conhecida também por olho-de-boi, pitomba da mata e caruiri.

Ela é considerada como fruta exótica, sendo muito apreciada pelos nordestinos, mas apresenta sabor que mistura do doce ao amargo.

O nome pitomba é de origem tupi, que significa sopapo, bofetada e coisa de pouco valia; pois é comum nos rincões brasileiros dizerem que a pessoa não vale nem uma pitomba.

Conheça a Pitombeira

A pitombeira apresenta médio porte, com até 12 metros de altura, possui copa arredondada, folhas compostas. Suas flores são pequenas, de cor alaranjada. Produz frutos redondos, cuja casca é dura, quebradiça e de coloração marrom. Sua polpa é suculenta e para alguns é levemente doce, mas há algumas pessoas alegam que ela amarga um pouco.

Utilização da Pitomba

A pitomba é rica em vitamina C, usada in natura ou na preparação de licores, sucos, picolés e sorvetes. Há quem se aventure na preparação de geleias e compotas.

Ela auxilia no fortalecimento do sistema imunológico, para a saúde dos cabelos e para casos de diarreias.

Suas folhas e cascas contêm tanino, substância usada para impedir o apodrecimento do couro animal ao ser preparado para comercialização.

A pitombeira pode ser usada na arborização de parques, na recomposição de matas de preservação permanente e na alimentação de muitas espécies de pássaros e outros animais.

Onde encontrar a fruta?

Ela é acessível em feiras livres e mercados municipais das regiões norte e nordeste, vendida a granel, em cachos ou feixes. Facilmente encontrada em forma de sorvetes e picolés para os amantes em experimentar frutos exóticos.

Ela é muito comum nos pomares dos quintais nordestinos e muito apreciada pelas crianças também. Ela pode ser encontrada em sites que comercializam mudas e sementes de variadas plantas.

Pitomba

Olho-de-boi

Pitomba

Pitomba

Be the first to comment on "Pitomba pequena, agridoce e funcional"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*