Costela de Adão: uma planta tropical e exótica

Você já ouviu falar da Costela de Adão? Essa é uma planta que tem chamado a atenção de muitas pessoas por sua beleza e exotismo. A Costela de Adão, cujo nome científico é Monstera deliciosa, é uma planta nativa do México e América Central.

Ela é conhecida por suas grandes folhas verdes em forma de coração com recortes que parecem buracos, o que lhe rendeu o apelido de “planta-furo”. A Costela de Adão é uma planta que pertence à família das aráceas, a mesma do antúrio e da copo-de-leite. Ela pode crescer até 12 metros de altura, se tiver um suporte para se apoiar, como uma árvore ou uma treliça.

Além das folhas, a Costela de Adão também produz flores e frutos, que são comestíveis e têm um sabor que lembra uma mistura de abacaxi com banana. Ela é uma planta que pode ser cultivada tanto em ambientes internos quanto externos, desde que receba os cuidados adequados.

Costela de Adão (imagem: Canva)

Costela de Adão (imagem: Canva)

Características da Costela de Adão

A Costela de Adão é uma planta que se destaca por suas folhas, que são as partes mais visíveis e admiradas da planta. Suas folhas são grandes, podendo chegar a 90 cm de comprimento e 75 cm de largura. Elas são de cor verde-escura, com uma textura brilhante e cerosa, com um formato de coração, recortes profundos e irregulares nas bordas e no centro, formando furos que dão um charme especial à planta.

Esses furos servem para que a planta possa captar mais luz e ventilação, além de reduzir o peso das folhas. As folhas da Costela de Adão são sustentadas por longos pecíolos, que são os caules que ligam as folhas ao ramo principal. Os pecíolos da Costela de Adão são grossos e cilíndricos, com uma coloração verde-clara. Eles podem ter até 1 metro de comprimento e possuem pequenas raízes aéreas, que ajudam a planta a se fixar em um suporte.

Suas flores são menos conhecidas, mas também são muito interessantes. Elas são do tipo espádice, que é uma espiga alongada e carnuda, envolvida por uma bráctea chamada espata. A espata da Costela de Adão é de cor verde, com uma forma de capuz, e protege o espádice, que é de cor branca-creme.

O espádice é formado por centenas de pequenas flores, que são hermafroditas, ou seja, possuem os órgãos masculinos e femininos na mesma flor. As flores da Costela de Adão são aromáticas, e exalam um perfume doce e agradável. Elas também são termogênicas, ou seja, produzem calor, podendo chegar a 15°C acima da temperatura ambiente. Esse calor serve para atrair os polinizadores da planta, que são besouros do gênero Cyclocephala. As flores aparecem entre agosto e outubro, e duram cerca de uma semana.

Frutos

Os frutos da Costela de Adão são outro atrativo da planta, pois são comestíveis e saborosos. Eles são do tipo baga, que são frutos carnudos e suculentos, com sementes no interior. As bagas da Costela de Adão são de cor amarelo-clara, com uma casca grossa e escamosa. Elas se formam no espádice, após a polinização das flores, e demoram cerca de um ano para amadurecer.

Os frutos se caracterizam por ter um formato cilíndrico e alongado, podendo medir até 25 cm de comprimento e 10 cm de diâmetro. Eles pesam cerca de 1,5 kg e contêm cerca de 300 sementes, sendo chamados de ceriman, que significa “fruta deliciosa” em língua indígena.

Eles também são conhecidos como banana-do-mato ou abacaxi-do-reino, possuem sabor doce e ácido, lembrando uma mistura de abacaxi com banana. Eles também têm um aroma intenso e agradável, que pode perfumar todo o ambiente.

Os frutos da Costela de Adão podem ser consumidos in natura, quando estão bem maduros. Para saber se o fruto está maduro, basta observar se a casca está se soltando facilmente, revelando a polpa branca e macia.

Ele também devem ser colhidos com cuidado, pois possuem pequenos cristais de oxalato de cálcio, que podem causar irritação na boca e na garganta se ingeridos. Por isso, é recomendável retirar a casca e os pedaços mais duros do fruto, e lavar bem a polpa antes de consumir. Podem ser utilizados para fazer sucos, geleias, sorvetes, bolos, tortas e outras receitas, além de possuírem propriedades medicinais, sendo usados para tratar problemas digestivos, respiratórios, urinários e reumáticos. Os frutos da Costela de Adão são ricos em vitaminas, minerais, fibras e antioxidantes, sendo benéficos para a saúde.

Dicas de cultivo da Costela de Adão

A Costela de Adão é uma planta que pode ser cultivada tanto em ambientes internos quanto externos, desde que receba os cuidados adequados, sendo uma planta que gosta de luz, mas não de sol direto. Ela prefere ambientes com meia-sombra ou sombra, onde receba luz indireta e filtrada

A Costela de Adão também gosta de umidade, mas não de encharcamento. Ela deve ser regada regularmente, mantendo o solo sempre úmido, mas não encharcado, sendo plantada em um solo bem drenado, rico em matéria orgânica e com pH neutro ou levemente ácido.

Se for plantada em vasos, deve-se usar um substrato adequado para plantas tropicais, que retenha umidade sem compactar. A Costela de Adão deve ser adubada periodicamente, com um fertilizante orgânico ou mineral, de acordo com as instruções do fabricante. A espécie deve ser podada ocasionalmente, para remover as folhas e os ramos secos, doentes ou danificados.

Ela deve ser protegida de pragas e doenças, como cochonilhas, pulgões, ácaros, fungos e bactérias, que podem afetar a saúde e a beleza da planta; e pode ser multiplicada por divisão de touceira ou por estaquia, que são métodos simples e eficientes. A divisão de touceira consiste em separar uma parte da planta que tenha raízes e folhas, e plantá-la em outro local. A estaquia consiste em cortar um ramo da planta que tenha pelo menos um nó, e colocá-lo em um recipiente com água ou substrato úmido, até que enraíze.

Costela de Adão (imagem: Canva)

Costela de Adão (imagem: Canva)

Be the first to comment on "Costela de Adão: uma planta tropical e exótica"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.